[ editar artigo]

Mitos e verdades sobre a Educação 4.0

A educação 4.0 está sendo discutida por educadores em todo o mundo. O termo surgiu justamente por conta dos avanços científicos e tecnológicos vividos nas últimas décadas. O aluno que iniciou seus estudos no início do século XXI formou-se com a existência de novas profissões como: Minerador de Dados, Gestor de Mídias Sociais e Analista de E-commerce. Cada vez mais a indústria 4.0 está evoluindo exigindo profissionais modernos e capacitados. Áreas como Inteligência Artificial, IoT e Blockchain são as mais cotadas para evoluir nos próximos anos.

As chamadas "profissões do futuro" estarão conectadas cada vez mais com tecnologia

Com todas essas mudanças, levantamos questões sobre o futuro da educação: será que nosso ambiente educacional está preparado para formar os jovens do futuro? Como os educadores estão agindo dentro e fora da sala de aula? Reunimos aqui alguns mitos e verdades que muitos pensam na hora de analisar a Educação 4.0:

O professor não será mais necessário na Educacão 4.0: MITO

Esse é um dos principais mitos que assombra os educadores. Se você é professor, fique tranquilo, você não será substituído. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o professor terá total autonomia para decidir a forma do aprendizado demarcando somente onde se espera chegar nos conteúdos abordados e em hipótese alguma será trocado. Isso tudo pode ser consultado nessa página.

 

Teremos mais ferramentas extra-classe presentes na sala de aula: VERDADE

Hoje em dia já estamos vivenciando essa revolução com salas de aulas tecnológicas (FabLabs), laboratórios de informática, laboratórios de química/física, entre outros. Estas ferramentas são fundamentais para o desenvolvimento dos jovens no século XXI, pois faz o aluno vivenciar na prática todos os conceitos que são vistos dentro de sala de aula. Essa vivência traz outro benefício: desenvolve alunos mais engajados com interesse em aprender e desenvolver novos projetos, possibilitando também a formação de jovens com talentos nas áreas de ciências, tecnologia, artes e esportes.

Ambientes fora da sala de aula estimulam os jovens a verem os conceitos postos na prática

 

O aluno aprenderá tudo sozinho: MITO

Com o surgimento de ferramentas como Duolingo (para aprender inglês) e Passei!Enem (para estudar versões anteriores do ENEM), a forma do aprendizado fica cada vez mais dinâmica e online, porém, no processo de aprendizagem, o aluno necessita da figura de um educador para orientá-lo, mesmo se ele estiver aprendendo tudo por conta própria, por exemplo no Youtube. Em outras situações como por exemplo na educação básica, é imprescindível o convívio entre crianças, vivências e experiências para o jovem conseguir viver em sociedade.

 

A interdisciplinaridade será fundamental: VERDADE

De acordo com o que está previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a organização por áreas do conhecimento vai permitir um fortalecimento entre as relações e uma contextualização para apreensão e intervenção na realidade juntamente com o projeto pedagógico desenvolvido pelo professor. Haverá uma diminuição do conteúdo trabalhado pelas escolas públicas e particulares possibilitando um foco maior na área de interesse do aluno. Isso necessitaráa presença de gestores mais voltados à interdisciplinaridade, trabalhando com tecnologias do mercado de trabalho para engajar os jovens.

 


Seja membro da comunidade

Faça o login (no canto superior direito) para ter acesso a materiais exclusivos, receber avisos de novos conteúdos relevantes para você e escrever artigos autorais que serão lidos por todo o público do Camadas Educacionais.

A comunidade é mantida pela Layers Education, referência em soluções de tecnologia para as escolas. Visite o site e conheça!

Camadas Educacionais
Ler conteúdo completo
Indicados para você