[ editar artigo]

Laboratório rotacional: como dar uso ao laboratório de informática

Laboratório rotacional: como dar uso ao laboratório de informática

 

Vamos para mais um texto sobre Ensino Híbrido! Como eu havia prometido, estou escrevendo uma série introdutória sobre os modelos de Ensino Híbrido, conceitos que podem contribuir para educadores pensarem suas atividades em um eventual retorno às atividades escolares.

O Ensino Híbrido, como expliquei no primeiro texto, é uma estratégia pedagógica que utiliza tecnologias educacionais no processo de ensino, misturando atividades mediadas pelo professor e tarefas mediadas pela tecnologia. Também falei sobre o modelo de Sala de Aula Invertida em outro texto da série.

O foco deste artigo é o modelo de Laboratório Rotacional, uma proposta para o ensino presencial utilizando o laboratório de informática da escola. Porém, entender os benefícios deste modelo pode colaborar para o planejamento de atividades semipresenciais.

 

O que é o laboratório rotacional

O Laboratório Rotacional faz parte dos modelos de rotação do Ensino Híbrido, em que os alunos revezam-se em grupos ou individualmente em tarefas predeterminadas pelo professor durante uma mesma aula ou em encontros diversos.

No caso do Laboratório Rotacional, o educador planeja duas atividades complementares realizadas simultâneamente, uma com mediação direta em sala de aula e outra com mediação da tecnologia (e, eventualmente, do responsável pela informática). Assim, a turma seria dividida em 2 grupos que trocariam de espaço após finalizar a tarefa.

O tempo disponibilizado para cada espaço é definido pelo professor. A rotação pode acontecer na mesma aula ou em aulas diferentes. Para entender melhor, veja o vídeo do canal Professus21 sobre o tópico.

 

Os benefícios deste modelo

Qual professor não gostaria de ter uma turma com metade da quantidade de alunos do usual? Pela minha prática docente, percebi o quanto faz diferença em alguns momentos, ter um número menor de alunos para orientar em sala de aula. O laboratório rotacional proporciona momentos assim.

Ao diminuir a quantidade de estudantes em determinados momentos, especialmente em atividades que necessitem de orientação mais próxima do professor, este pode disponibilizar maior qualidade no atendimento individual. Vemos o benefício de otimizar a atuação do docente, direcionando os esforços para momentos que necessitam maior mediação humana, por exemplo, tutoria de projetos e feedbacks.

Havendo menos alunos em sala, pode-se imaginar também mais espaço para participação ativa em discussões e debates. Com ampliação da participação dos estudantes e da maior qualidade na mediação do professor, avançamos para a possibilidade de personalização do ensino.

Outro benefício do Laboratório Rotacional é dar uso à sala de informática da escola. O menor número de alunos utilizando os computadores podem evitar a situação muitas vezes encontrada de um espaço superlotado, com dois ou mais alunos por máquina. Assim, o momento no espaço de informática será melhor aproveitado pelos alunos.

 

Algumas dicas para colocar em prática

A primeira dica é conhecer o espaço de informática e o profissional de tecnologia educacional da sua escola. Converse com a pessoa responsável por esta área para saber as possibilidades dos dispositivos e, principalmente, para unir forças com este profissional.

É importante abrir espaço para a participação do especialista em tecnologia educacional no planejamento das atividades, compreendendo de que maneira ele pode contribuir para a mediação.

Saber as restrições dos dispositivos (qualidade da internet softwares instalados, possibilidade de instalar novos programas) também é essencial para o professor planejar sua aula, definindo os recursos digitais que serão utilizados.

Caso haja internet, uma sugestão é utilizar recursos online de produção colaborativa, pois facilita o acesso posterior aos arquivos (tanto no caso do aluno precisar abrir em outra aula, quanto no caso de terminar em casa). Um problema comum ao usar salas de computadores compartilhados é salvar no dispositivo e depois não encontrar. Além disso, os recursos online não precisam ser instalados no computador, facilitando a etapa de preparação da aula.

Outra dica é planejar a atividade a ser realizada nos computadores com uma produção feita pelo aluno e que deve ser entregue ao final da aula. Como o professor não acompanhará este momento, é uma forma de ver posteriormente o que foi feito, quais os avanços e dificuldades de cada estudante. É importante que a maneira de realizar o envio esteja bastante clara, facilitando a gestão do tempo e garantindo que todos conseguirão entregar, seja pelo AVA (ambiente virtual de aprendizagem), por e-mail, por uma pasta compartilhada na nuvem ou na rede local da escola.

Aproveite o momento em sala de aula com metade da turma para propor atividades que fluam melhor com um número reduzido de alunos. Debates, feedback ou tutoria individual (ou em grupo) e dinâmicas de interação são alguns exemplos. 

Utilizar metodologias ativas de aprendizagem baseada em projetos também é uma boa indicação, organizando atividades complementares ligadas ao projeto para serem realizadas em cada espaço. Está nos meus planos escrever um ou mais textos sobre a utilização de projetos na Educação, para compartilhar meus estudos e experiências práticas com o tema.

 

Sugestões de recursos tecnológicos

Para finalizar esse texto, vou dar algumas sugestões de recursos tecnológicos que podem ser utilizados no modelo de Laboratório Rotacional:

1) Produção colaborativa online

Utilizar recursos online de produção colaborativa, como falei anteriormente, não precisam ser instalados no computador e facilitam o acesso posterior ao trabalho. Para produzir textos, o professor pode utilizar o Google Docs ou o Word Online. Para preparar slides ou outros materiais visuais, pode acessar o Google Apresentações ou o Power Point Online.

O Canva é uma plataforma gratuita de Design Gráfico, bastante interessante para elaboração de banner, panfleto, ebook ou qualquer peça gráfica. O Padlet é um recurso para montagem de painéis interativos, com imagens, textos, links, videos e outros recursos. Os alunos podem trabalhar em colaborativamente em pequenos grupos ou até mesmo com uma produção única para a sala.

2) Armazenamento na nuvem

Uma maneira eficiente de disponibilizar e receber arquivos é utilizando plataformas de armazenamento em nuvem. Veja se a sua escola possui algum plano educacional de recursos Google, Microsoft ou Apple. É comum ter inclusos nestes pacotes memória em nuvem para armazenamento. Caso a escola não utilize estas soluções, o professor pode procurar eventuais planos gratuitos do Google Drive, OneDrive, iCloud ou Dropbox.

 

Foto por Josh Sorenson em Unsplash

 


Gostou do texto? Seja membro

Faça o login (no canto superior direito) para ter acesso a materiais exclusivos, receber avisos de novos conteúdos relevantes para você e escrever artigos autorais que serão lidos por todo o público do Camadas Educacionais.

A comunidade é mantida pela Layers Education, referência em soluções de tecnologia para as escolas. Visite o site e conheça!

Camadas Educacionais
Henrique Uyeda do Amaral
Henrique Uyeda do Amaral Seguir

Henrique Uyeda do Amaral é escritor e educomunicador. Responsável pela gestão e produção de conteúdo no blog-comunidade. Especialista em educação e tecnologia, já atuou como educador, formador de professores, autor de material didático e mais.

Ler conteúdo completo
Indicados para você