[ editar artigo]

Educação midiática: como usar as mídias em sala de aula

Educação midiática: como usar as mídias em sala de aula

A comunicação é uma atividade inerente ao ser humano, essencial para a organização da sociedade. No mundo contemporâneo, a diversidade dos meios (mídias) de comunicação é ampla e utiliza tecnologias digitais e analógicas para transmitir mensagens.

As informações se tornaram acessíveis, tanto no âmbito pessoal e particular, quanto nas questões públicas e comunitárias. As tecnologias digitais ampliaram as possibilidades de criação de conteúdo, tornando a produção e a difusão mais baratas e, de certa forma, mais democráticas.

Recebemos uma quantidade gigantesca de conteúdos todos os dias, acessando sites, blogs, redes sociais, televisão, rádio. As fontes de informação variadas trazem cada uma discursos e intenções diferentes, exigindo maior cuidado na interpretação. Alguns problemas resultantes deste cenário são: as fake news, o consumismo (fruto da publicidade excessiva), o discurso de ódio, a desvalorização do jornalismo.

A educação tem papel fundamental na preparação dos sujeitos para a leitura do mundo e a convivência na sociedade. Por isso, se faz necessário um processo educativo voltado para o uso das mídias no consumo e produção de conteúdos. O tema deste texto é a Educação Midiática (ou letramento midiático), falarei sobre os conceitos relacionados e a prática.

Este texto complementa o anterior, sobre letramento digital.

 

O que é a Educação Midiática?

No currículo de tecnologia do CIEB para o ensino médio, há um componente curricular de letramento midiático (um sinônimo para a educação midiática). Durante a sua elaboração conversei com o Rodrigo Assirati, um dos professores especialistas responsáveis pela escrita do currículo. O objetivo da educação midiática é:

“Utilizar diferentes mídias para a comunicação, agindo de forma crítica e ética na produção e consumo de informação.” (Currículo de Tecnologia CIEB)

Para desenvolver esta competência, é necessário compreender as características das mídias de comunicação e sua importância para a sociedade democrática, saber identificar a confiabilidade e as intenções nos discursos das diversas fontes, além de produzir conteúdo midiático autoral.

Podemos dizer de forma mais ampla que o objetivo desta abordagem é ampliar o potencial comunicativo dos indivíduos para receber e transmitir informações. A visão crítica é essencial para a autonomia dos sujeitos na comunicação. Por meio da comunicação, pode-se realizar ações voltadas para a cidadania e participação.

 

Como trabalhar com mídias em sala de aula

Vou apresentar três sugestões de como trabalhar com as mídias na sala de aula. Estou planejando explorar esse assunto com uma série de textos sobre o uso de mídias na escola, detalhando práticas e tecnologias que podem ser utilizadas por professores.

A primeira sugestão é utilizar produções midiáticas variadas para apresentar o conteúdo da sua matéria. Filmes, documentários, reportagens, notícias, propagandas, memes, vídeos da internet, games… Os alunos já têm contato com essas mídias no seu dia a dia, é interessante trazê-las para o ambiente escolar para serem trabalhadas com a mediação do professor. É provável que esta prática também aumente o interesse dos estudantes sobre os temas.

Outra abordagem é realizar de maneira recorrente uma análise crítica da mídia, que consiste em apresentar aos alunos uma produção midiática (pode ser relacionada às matérias ou não) e analisá-la com a turma. Além de ampliar o repertório dos estudantes, o professor pode discutir as características da mídia utilizada, as intenções presente no discurso e a veracidade das informações. Neste processo, é importante adotar uma visão interdisciplinar relacionando questões históricas, políticas, sociológicas, linguísticas, científicas, etc.

A terceira sugestão é adotar uma abordagem com projetos de produção de conteúdo em mídias digitais, desenvolvidos com protagonismo dos alunos. Em termos de tecnologia, é relativamente fácil produzir vídeos, podcasts, sites e até mesmo jogos eletrônicos. Esta é uma oportunidade para trabalhar a participação social e a cidadania, ao escolher temas relevantes para a sociedade e que sejam do interesse dos alunos.

 

Para aprofundar no tema

Para aprofundar na Educação Midiática, sugiro estudo de conteúdo sobre Educomunicação, a área de conhecimento que trata da interface entre Educação e Comunicação. Sou quase formado no curso de Licenciatura em Educomunicação na ECA-USP e acredito que as escolas precisam abrir espaço para educomunicadores na formação de professores e em projetos interdisciplinares.

Recomendo também o currículo de tecnologia e computação do CIEB para a educação básica. É um trabalho sério e de altíssima qualidade, desenvolvido para ajudar professores do ensino infantil, fundamental e médio a adotarem as tecnologias digitais no processo educativo, relacionando com a BNCC.

Há um documento da UNESCO sobre "Alfabetização midiática e informacional", voltado para a formação de professores. É um material completo de referência para o tema.

 

Foto por Nabil Saleh em Unsplash

 


Gostou do texto? Seja membro

Faça o login (no canto superior direito) para ter acesso a materiais exclusivos, receber avisos de novos conteúdos relevantes para você e escrever artigos autorais que serão lidos por todo o público do Camadas Educacionais.

A comunidade é mantida pela Layers Education, referência em soluções de tecnologia para as escolas. Visite o site e conheça!

Camadas Educacionais
Henrique Uyeda do Amaral
Henrique Uyeda do Amaral Seguir

Henrique Uyeda do Amaral é escritor e educomunicador. Responsável pela gestão e produção de conteúdo no blog-comunidade. Especialista em educação e tecnologia, já atuou como educador, formador de professores, autor de material didático e mais.

Ler conteúdo completo
Indicados para você