[ editar artigo]

Como é apresentar o F1 in Schools Brazil?

Como é apresentar o F1 in Schools Brazil?

Apresentar o F1 in Schools Brazil é uma honra e uma grande alegria para mim. Iniciei nesse projeto em 2018 e, de lá pra cá, apresentei 5 etapas, entre elas a última Etapa Nacional das escolas SESI do Brasil, que aconteceu no Festival de Robótica SESI 2020, na capital paulista. 32 equipes de 18 estados brasileiros. Foi lindo de ver, muita emoção! Destaque para a equipe SPARK campeã dessa etapa! 

Foto: Registro das equipes participantes do Festival de Robótica SESI 2020, acervo pessoal. 

 

Gostaria de poder dizer, com esse texto, como é realmente ser apresentador desse evento incrível e o que me motiva a fazer parte desse fenômeno STEAM que é o F1 in Schools.

Foto: Álbum Flickr da CNI Confederação Nacional das Indústrias.

Mas, antes de eu contar como é apresentar o F1 in Schools Brazil, preciso revelar que tudo começou em 2010, quando eu dei meus primeiros passos na FLL, ao lado do Tiuzão (Arnaldo Clemente) e Danilo Yoneshige (pioneiros na animação dos torneios de robótica no Brasil), que juntos com outros fenômenos desse ramo atuam também em torneios importantes como TBR, OBR, e outros. A verdade verdadeira é que quando eu ouvi pela primeira vez o Tiuzão pedindo "o grito da galera!", ah... eu vi ali um caminho, uma inspiração real! Eu disse pra mim mesmo: 'quero fazer isso um dia!'

Foto: Daniel Tiepo e Tiuzão na etapa regional Centro-Oeste da FLL em 2014/15 TRASH TREK. Acervo pessoal.

Conheci o F1 in Schools Brazil no stand da ZOOM education na bettEducar 2018. Ali, tive oportunidade de contemplar um túnel de vento que mostrava claramente a aerodinâmica de um carro e pude disparar um carro miniatura de fórmula 1 na pista de 20 metros, e refleti uma vez mais sobre a aceleração e a velocidade média. Desejei imediatamente conversar com os desenvolvedores para encontrar respostas. Qual é a velocidade do carrinho na pista? O que é essa cápsula que explode? Por que acontece essa explosão? Por que o carrinho não voa pra fora da pista? E muitas outras...

Foto: Registro bettEducar 2018. Daniel Tiepo e Marcos Wesley fundador da ZOOM education, antes do disparo dos carros em miniatura do F1 in Schools. Acervo pessoal.

Foi a partir desse encontro que iniciamos uma parceria para que eu pudesse assumir a apresentação do evento, levando, portanto, minha experiência como animador e juiz de arena da FLL para a Etapa Nacional 2018 do F1 in Schools Brazil. Desde 2018 a ZOOM education e a Projetando o Futuro são parceiras na implantação dessa metodologia ativa nas escolas e realização das etapas regionais e nacionais dessa competição mundial.

Foto: Registro bettEducar 2018. Da esq. para dir. Christian Battaglia (Juiz F1 in Schools), Daniel Tiepo (apresentador de festivais STEAM), Waldemar Battaglia (fundador da Projetando o Futuro) e Marcos Wesley (fundador da ZOOM education). Acervo pessoal.

Para a minha primeira participação, já na Etapa Nacional 2018, minha preparação foi intensa. Assisti muitos vídeos de etapas internacionais anteriores e fui identificando na atuação do apresentador da etapa mundial David Croft, alguns pontos que eu poderia absorver e realizar. Foi necessário também um esforço da minha parte para compreender a complexidade das regras desse novo desafio. Afinal, o F1 in Schools Brazil é projeto multidisciplinar, em linha com metodologia Aprendizagem por Projetos (PBL), estimular o empreendedorismo, o desenvolvimento tecnológico e a cidadania. Compreender a interdisciplinaridade envolvida em um projeto como esse é desafiador e também fascinante!

 

Foto: registro da equipe Brazilian_six - Campeões da Etapa Nacional 2018.

Tudo flui naturalmente desde que o apresentador tenha feito o dever de casa, porque as pessoas envolvidas na organização, os técnicos dos times, estudantes competidores e familiares são todos maravilhosos e o ambiente é de colaboração e competitividade.

O que nós, na FIRST, chamamos de Coopertition. ;) 

É claro que uma boa playlist é importante. Mas o principal, eu diria, é saber ouvir os competidores e saber dar voz a eles, possibilitando que os pilotos, por exemplo, antes dos disparos possa contar sobre a equipe e sobre o trabalho desenvolvido até ali, fazendo uma conexão genuína com o público. Visitar os stands e entrevistar os times, promover um ambiente de compartilhamento e intercâmbio de ideias.

Sem dúvida, para mim, os torneios são ambientes para a Inovação e o encontro/confronto de ideias. 

Foto: Álbum Flickr da CNI Confederação Nacional das Indústrias.

Espero ter mostrado pra você como é ser apresentador da F1 in Schools Brazil. Deixe os seus comentários, sugestões e críticas para que possamos juntos aprimorar esse trabalho e olhar para o século XXI como uma era de avanços tecnológicos e também humano! 

Obrigado.

Foto: Daniel Tiepo, apresentador F1 in Schools Brazil no Festival de Robótica 2019 no Rio de Janeiro. Acervo pessoal.

Esse artigo foi escrito por Daniel Tiepo, apresentador oficial do F1 in Schools Brazil.

 


Seja membro da comunidade

Faça o login (no canto superior direito) para ter acesso a materiais exclusivos, receber avisos de novos conteúdos relevantes para você e escrever artigos autorais que serão lidos por todo o público do Camadas Educacionais.

Camadas Educacionais
Daniel Tiepo
Daniel Tiepo Seguir

Pedagogo e professor de história. Atua como especialista da ZOOM education, com experiência em cultura maker, fundador da SER consultoria educacional. Autor de material didático STEAM. Apresentador F1 in Schools. Voluntário FIRST desde 2010.

Ler conteúdo completo
Indicados para você